Justiça determina a internação do adolescente do caso 'maníacos de Marituba'

Adolescente de 17 anos confessou participação da morte de Samara Mescouto.

Ela e outras mulheres eram "contratadas" via um falso perfil feminino para prestar serviços de beleza em domicílio.

Vítimas foram violentadas e agredidas.

A Justiça determinou nesta sexta (21) a primeira sentença contra o adolescente de 17 anos, autor dos crimes que ficaram conhecidos como caso dos “maníacos de Marituba”, na região metropolitana de Belém.

Foi aplicada a medida socioeducativa de internação, em responsabilização elos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.

Este processo refere-se à vítima Samara Duarte Mescouto. Samara Duarte Mescouto foi a primeira vítima fatal da série de ataques cometido pelo adolescente contra mulheres em Marituba Reprodução/TV Liberal Segundo o Ministério Público do Pará (MPPA), em depoimento, o jovem confessou participação na morte de Samara e disse que escolhia as vítimas nas redes sociais, geralmente mulheres que prestavam serviços de estética com atendimento domiciliar.

Após saírem para trabalhar, as vítimas não retornavam para casa.

Um dos pontos de encontro era um posto de gasolina localizado na rodovia BR-316. “Ele usava um perfil feminino em uma rede social para atrair as vítimas e marcava com elas para prestar o serviço.

Ao chegar no ponto de encontro as vítimas recebiam uma ligação dizendo que o marido da pessoa que pediu o serviço ia buscá-las.

Nesse momento o suspeito levava as vítimas para uma área de mata onde o estupro acontecia”, explica o delegado geral, Alberto Teixeira. Conforme investigação, as vítimas prestavam serviços de estética e eram atraídas por "supostas clientes" para um atendimento e depois eram estupradas, roubadas e espancadas.

Duas vítimas faleceram devido as graves lesões sofridas. A promotora de Justiça da Infância e Juventude Léa Rocha informa que tramitam ainda dois outros processos contra o adolescente, que estão com a instrução encerrada e com prazo para apresentação de memoriais finais.

Um deles refere-se às duas irmãs que foram vítimas da série de crimes, sendo que uma delas, Jennyfer Monteiro, morreu dias após o crime, enquanto estava hospitalizada.

O outro processo é de uma vítima que sobreviveu ao ataque. O adulto Jederson Alves também responde pela série de crimes e já foi denunciado pela promotora Criminal de Marituba Mônica Rocha por latrocínio, ocultação de cadáver, latrocínio tentado e corrupção de menores. Vítima de 'maníaco de Marituba', Jennyfer Monteiro morreu após dias internada no hospital Reprodução / Facebook Os crimes De acordo com a polícia, o primeiro caso da série de crimes foi cometido no dia 4 de janeiro, em que o adolescente teria roubado e estuprado uma mulher.

O segundo crime foi uma tentativa de roubo e estupro, cometido no dia 7 de janeiro.

A vítima conseguiu fugir após lutar com o adolescente.

A terceira vítima, Samara Duarte Mescouto, desapareceu no dia 10 de janeiro e o corpo foi encontrado na noite do dia 12.

No dia 11, duas irmãs foram atacadas.

Uma delas conseguiu fugir e registrou o boletim de ocorrência na seccional de Marituba.

A outra vitima, Jennyfer Monteiro, de 17 anos, foi encontrada na área de mata após ser violentada e agredida.

Ela foi encaminhada para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua, mas morreu dias depois.

Categoria:Pará