Mensagens mostram que Bolsonaro avisou Moro que havia decidido trocar comando da PF antes de reunião ministerial

Presidente avisou o ministro da Justiça e Segurança Pública no início do dia 22 de abril.

Dois dias depois, Moro anunciou sua saída do governo e acusou Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal.

Mensagens mostram que Bolsonaro decidiu demitir Valeixo antes de reunião O presidente da República Jair Bolsonaro decidiu tirar Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal e avisou o então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, horas antes da reunião ministerial realizada no dia 22 de abril.

É o que apontam mensagens trocadas entre Bolsonaro e Moro no início daquele dia. As conversas foram obtidas pelo jornal "O Estado de S.

Paulo", confirmadas pela TV Globo, e integram o inquérito que apura supostas tentativas do presidente de tentar interferir na PF.

As mensagens contradizem a versão sustentada pelo presidente de que não tentou interferir na corporação.

O vídeo da reunião ministerial foi apontado por Moro como prova de que Bolsonaro tentou interferir politicamente na corporação.

A gravação foi tornada pública nesta sexta-feira (22) por decisão do relator do inquérito, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello.

Na troca de mensagens, enviadas por volta das 6h20 do dia 22 de abril, Bolsonaro afirma ao então ministro: "Moro, o Valeixo sai essa semana.

Isto está decidido.

Você pode decidir apenas a forma.

A pedido ou ex oficio".

Na sequência, Moro responde: "Presidente, sobre esse assunto precisamos conversar pessoalmente estou ah disposição para tanto".

A exoneração de Mauríco Valeixo do cargo de diretor-geral da PF foi publicada no dia 24 de abril.

No mesmo dia, Moro anunciou que dexaria o governo e acusou Bolsonaro de tentar interferir politicamente na Polícia Federal.

A corporação é vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Initial plugin text
Categoria:Política