Conheça as aves que ainda não foram registradas no maior banco de dados digital do Brasil

No catálogo do Wikiaves não há fotos publicadas de 32 espécies; algumas delas já foram registradas em outros países.

Com mais de três milhões de registros, o Wikiaves é considerado o maior banco de dados virtual sobre aves do Brasil! No entanto, mesmo com tamanha diversidade de arquivos sonoros e fotográficos, ainda há lacunas no catálogo: 32 espécies brasileiras, das 1919 com ocorrência conhecida no País, não foram registradas em imagens na plataforma. Na lista mais recente divulgada pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos, 2015, constam 1.919 espécies de aves Confira a lista de aves sem registros de imagem publicados no Wikiaves Arte/TG Um exemplo é a saracura-de-asa-vermelha, possivelmente uma das saracuras menos conhecidas no Brasil. Com cerca de 30 centímetros de comprimento, a ave apresenta cabeça, nuca e dorso ruivos, faixa castanha na lateral do pescoço, garganta acinzentada, pés e pernas vermelhos e bico amarelo. No País, a ave é encontrada apenas na Amazônia ocidental, onde vive em matas ribeirinhas, igapós e na floresta densa.

Por isso tamanha dificuldade em registrá-la. No entanto, há fotos da espécie em outros países, como o clique do observador de aves Ricardo Nieto, feito na Reserva Biológica del Rio Bigal, no Equador. Saracura-de-asa-vermelha é uma das espécies sem registros publicados na plataforma Arte/TG Ameaçadas Outra espécie ‘tímida’ para as câmeras em território brasileiro é o diablotim, ave oceânica encontrada no Nordeste e nas ilhas de Trindade e Martim Vaz (ES). Ameaçada de extinção, também ocorre em algumas ilhas do mar do Caribe, no norte da América do Sul, raramente na Europa e em águas costeiras dos Estados Unidos, onde foi registrada pelo observador Brian Sullivan, na Carolina do Norte. No período reprodutivo o diablotim nidifica no Haiti e na República Dominicana, assim como em Cuba Tietê-de-coroa ficou desaparecido por mais de um século e já foi considerado extinto Arte/TG A lista de ameaças conta ainda com o tietê-de-coroa, espécie rara e pouco conhecida que, por mais de um século, deixou de ser avistada.

De plumagem verde oliva com tons amarelos e um topete avermelhado, a ave se mostrou para as lentes do ornitólogo Ricardo Parrini em 1997, durante uma passarinhada em Teresópolis (RJ).

Desde então, o tietê-de-coroa nunca mais foi avistado.

"Ao mesmo tempo que a gente tem informações que tornam ela uma ave super interessante, não temos dados suficiente para saber mais sobre a espécie, inclusive se ela está ou não extinta", comenta o ornitólogo Luciano Lima, um dos organizadores da expedição Calyptura - realizada pelo Observatório de Aves do Instituto Butantan de São Paulo e pelo Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro com apoio da American Bird Conservancy. O tietê-de-coroa é uma das aves mais raras e enigmáticas do planeta inteiro! Não há registros das espécies publicados na plataforma WikiAves Arte/TG Choquinha Da família dos papa-formigas e papa-taocas, a choquinha-do-oeste é uma das espécies sem registros no banco de dados do WikiAves. Com nove centímetros, vive em matas de várzea da Amazônia, único local onde foi encontrada. Tamanha dificuldade em observar a espécie prejudica os estudos sobre a ave, pro isso, pouco se sabe sobre hábitos alimentares e reprodutivos O mesmo acontece com a choquinha-fluminense que, além de rara, está ameaçada de extinção.

A ave, descrita em 1988, é conhecida apenas de um único indivíduo que foi capturado no município de Magé (RJ).

Vocalização das aves estão disponíveis no banco de dados do Wikiaves Arte/TG Vocalizações Entre as 32 aves da categoria “sem foto” na plataforma Wikiaves, constam 06 espécies cujo registro foi feito em áudio.

É o caso do tovacuçu-xodó - ave encontrada no Peru e no Acre; e do balança-rabo-do-rio-negro – espécie cuja única informação disponível é sobre a área de ocorrência, no Sul da Venezuela e na Amazônia brasileira.

Categoria:SP - Campinas e região