Perseguição: culto é interrompido por policiais e cristãos louvam a Deus na rua

Localizada no Sudeste Asiático e formada por milhares de ilhas vulcânicas, a Indonésia é o pais com o maior número de muçulmanos do planeta, proporcional ao número de habitantes. Infelizmente, essa realidade demográfica tem favorecido casos de perseguição aos cristãos, uma minoria que para louvar a Deus tem enfrentado duras provações, com perseguição oficial por meio de policiais.

Um dos casos mais recentes ocorreu no distrito de Indragiri Hilir, na ilha de Sumatra, em uma igreja pentecostal. Os membros da denominação foram surpreendidos pela Polícia, que foi até o templo da igreja no último dia 25 para dispersar a realização do culto que estava sendo realizado na ocasião.

Membros da Agência de Ordem Pública (Satpol PP) foram até à Igreja Pentecostal Indonésia (GPdI) com o objetivo de fechar o templo, mas os cristãos resolveram fazer o culto a Deus do lado de fora, ao ar livre, mostrando que a intimidação dos oficiais não impediria o exercício da fé cristã, segundo o Barnabas Fund.

Atualmente os cristãos representam apenas 15% da população de um país que ocupa a 30° posição na lista de perseguição mundial elaborada pela organização Portas Abertas, uma realidade difícil que é compartilhada por outros países.

Na China, por exemplo, a perseguição aos cristãos não é tão diferente. O regime político do país, que é o comunismo, utiliza o argumento da “clandestinidade” para cercear a liberdade de expressão dos cristãos.

Foi o que aconteceu em uma igreja cristã localizada em Anping , sob a jurisdição da cidade de Shangqiu. Os cristãos foram vítimas de um ataque covarde promovido por 100 policiais sob o comando do governador local.

Na Argélia, país localizado na África do Norte, a situação dos cristãos também não é tão diferente. Cerca de 99% da população do país é muçulmana, e o governo local também utiliza da autoridade para intimidar os cristãos durante os cultos nas igrejas.

O mesmo ocorreu numa igreja na vila de Lekhmis, Boudjima, a cerca de 20 quilômetros ao Nordeste de Tizi-Ouzou, na região de Kabylie. Um grupo de policiais chegou ao local com uma ordem para fechar o templo, e isso durante o culto.

Felizmente, após muita negociação com o advogado da igreja, foi marcada uma reunião com às autoridades superiores para resolver a situação, sem a necessidade de fechamento do templo. Essa é a realidade vivenciada por milhões de cristãos espalhados no mundo inteiro.


Fonte: https://noticias.gospelmais.com.br/perseguicao-culto-interrompido-policiais-deus-rua-120913.html

Categoria:Mundo Cristão